Crítica: Além da Vida (2010)


Em Além da Vida, o diretor Clint Eastwood nos apresenta a três personagens principais: a francesa Marie Lelay, o americano George Lonegan e o garoto inglês Marcus. O que conecta os três é a relação deles com a morte. Marie Lelay acaba de escapar de um desastre natural, George tem a habilidade se comunicar com os mortos e Marcus enfrenta a tristeza de ter perdido alguém próximo. A morte e o que vem depois dela são temas delicados. Cada um tem uma opinião sobre o assunto, geralmente embasada em religião ou até mesmo em profundas reflexões próprias.

A cada ano que passa sou cada vez mais cético e vivo bem assim. Achei importante dizer isso, pois quero que saibam que minhas ideias sobre o assunto não afetaram em nada minha experiência com o filme. Clint Eastwood não quer te fazer acreditar na vida após a morte ou algo do tipo. Ele quer contar uma história extremamente melancólica utilizando uma certa linha de pensamento sobre o tema. O resultado é um pouco irregular, mas com qualidade suficiente para ser algo marcante. Entre as três sub-tramas, a que é melhor desenvolvida é a de George Lonegan (Matt Damon). O ator está ótimo e passa muito bem o sentimento da personagem em relação a sua habilidade. Para George esse poder é uma maldição e entendemos o motivo disso quando ele tenta iniciar um relacionamento com uma garota. Para completar, o roteiro ainda encontra tempo para demonstrar a paixão dele por Charles Dickens. Detalhe bacana que se mostra importante no terceiro ato.

A irregularidade que mencionei se mostra presente quando o filme torna-se arrastado em alguns momentos. Entendo que Clint quer demonstrar o sofrimento e a desilusão de seus personagens, mas um bocejo ou outro de nossa parte pode acontecer. De qualquer forma, todos devem concordar que ele sabe como contar uma história e aqui não é diferente. O terreno para que os três se encontrem é preparado de maneira natural e cada vez mais passamos a nos importar com os personagens e suas reflexões e atitudes. Não vou negar que o melhor momento de Além da Vida está nos primeiros minutos, mas se você é uma pessoa com um mínimo de sentimento e que não tem o costume de atirar pedras em quem não pensa da mesma maneira que você, é provável que encontre muita coisa boa aqui.

Título original: Hereafter
Ano: 2010
País: USA
Direção: Clint Eastwood
Roteiro: Peter Morgan
Duração: 129 minutos
Elenco: Matt Damon, Cécile De France, Frankie McLaren, George McLaren, Richard Kind, Bryce Dallas Howard

/ além da vida (2010) -
bruno knott,
sempre.

About these ads

15 comentários sobre “Crítica: Além da Vida (2010)

  1. Seu texto disse tudo Bruno! As partes que achei mais arrastadas são por conta das cenas de Marie LeLay (com exceção do Tsunami que até sonhei depois que rolou um aqui na represa perto de casa o.O ).

    Tanto quando o começo, o encontro de Marcus com George fazendo a tal comunicação também me emocionou bastante.

    Não gostei do “não fim” dado para Melanie, talvez seja este um dos maiores erros do filme, mas considero sim a ideia de que Clint usou ela para intensificar a melancolia de George ainda mais, por nao conseguir ter uma vida normal com sua suposta “maldição”.

    A galera anda falando por ai que o filme é espirita, acho isso meio errado. Só falta virar genero, rs…

    Abs!

    • Pois é Natalie, é uma sacanagem tachar o filme assim.

      Tb não gostei muito do “final” da Melanie… e concordo que o motivo tenha sido esse, fazer o que?! ;/

      Abraços!

  2. Gostei muito do filme, principalmente pela condução de Clint Eastwood. Só não concordo tanto com o que você chamou de forma natual que os três se encontram. Entendo coincidências e até a convergência para determinada cidade era o mais lógico. Só que a forma e local achei que ficou um pouco forçada.

    bjs

    • Seria difícil fazer de uma maneira que não fosse nem um pouquinho forçado, mas acabei achando natural o fato deles se encontrarem em Londres, pois fomos apresentados a paixão de Geroge por Dickens, então visitar Londres para conhecer o museu é aceitável. A mulher participar de uma feira de livros na cidade tb e o garoto estava por lá. Claro, uma vez na feira de livro o roteiro força um pouco o encontro, concordo!

      Mas eu diria que não são coincidencias do tipo que ocorrem em Crash, por exemplo! ;)

  3. “o roteiro ainda encontra tempo para demonstrar a paixão dele por Charles Dickens.” Bruno, se o talento de Clint Eastwood já era garantia de minha atenção, tua referencia a Charles Dickens ainda aumentou minhas expectativas. Duas paixões em uma!

  4. Depois da manchete “Clint entrou pro filão espírita”, muitos estão correndo das salas de cinema – fruto dos malfeitos de “Nosso Lar”. =) Seu texto me deixou curioso (ainda mais) quanto à obra, e segurou minhas expectativas, que já nã eram tantas (Clint vem de dois trabalhos que me desagradaram muito). Assim que puder, confiro.

  5. Clint sempre foi um diretor realista e avesso a sentimentalismos baratos. Então, não sei muito bem o que esperar deste filme, mas acho que vou dar uma chance a ele.
    Abraços.

  6. Bruno, segui tua dica e resolvi sair de casa para ver ‘Além da Vida’ na tela grande. Ainda bem. Os detalhes das cenas iniciais teriam se perdido na TV. Que filmaço! Clint em grande forma. Na hora em que o George deita na cama e começa a ouvir a história de “David Copperfield” na voz de Derek Jacobi, delirei! Um de meus dois romances favoritos! E a visita à casa de Dickens! Um dia pretendo chegar lá.

    Há cenas emocionantes desde o início (a devastação pós-tsunami até comove, pois lembra a realidade cruel dos desabamentos no RJ) , e acho que os trechos mais lentos ajudam o coração a voltar a seu ritmo. A parte romântica ficou meio confusa, foi o único senão para um filme excelente em toda a linha. Você retribuiu com sobras a minha dica! :-) Bom domingo, um beijo,
    Stella

    • Opa… que bom que curtiu Stella!!

      Tb acho que a parte romantica ficou a desejar… acho que o Clint tentou abordar mais assuntos do que o tempo permitia, mas no geral nem acaba atrapalhando. Se você entra no filme, não tem como nao curtir!

      Um dia tb farei uma visita lá… hehehe

      Bjos!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s