Crítica: Bravura Indômita (2010)




Os irmãos Coen já se estabeleceram como cineastas extremamente sólidos. A filmografia deles é algo invejável, sempre com ótimos trabalhos (excluindo Matadores de Velhinha) e às vezes com obras-primas, como Fargo e Onde os Fracos Não Tem VezBravura Indômita pode não merecer o epíteto de obra-prima, mas sem dúvida representa toda a qualidade e estilo do cinema dos irmãos.

Aqui temos a primeira real incursão dos Coen no western e o resultado não poderia ter sido melhor. A madura garota Matie Ross (Steinfeld) só tem uma ideia na cabeça: caçar o homem que matou o pai dela, em qualquer lugar em que ele esteja. Ela contrata um marshal para ajudá-la nessa empreitada, apesar do mesmo passar tempo demais com alcool no sangue. Claro, falo de Rooster Cogburn, interpretado com todos os atributos que podemos esperar de um ator tão bom como Jeff Bridges. O elenco é excelente, assim como o roteiro e a fotografia de Roger Deakins, que com facilidade transmite o clima do velho oeste.

Bravura Indômita também contém o humor peculiar dos irmãos, dessa vez numa intensidade maior do que o normal, principalmente nos primeiros trinta minutos. Diálogos um tanto cínicos são pronunciados de maneira natural pelos atores, garantindo nosso riso. Como exemplos, lembro-me de quando Rooster fala que não paga por whisky, já que confisca tudo como homem da lei e também quando o personagem de Matt Damon diz que no Texas ele ficou tantos dias sem água que bebeu água suja de uma pegada de cavalo e ficou feliz por isso. Quando o assunto é violência, as coisas ficam bem sérias e rapidamente voltamos a sentir o perigo do ambiente hostil. Os Coen conseguem fazer essa transição com naturalidade. Como ponto negativo, acredito que o filme perde um pouco da força quando tenta buscar um certo sentimentalismo nos personagens, mas nada que incomode de fato.

Título original: True Grit
Ano: 2010
País: USA
Direção: Ethan Coen, Joel Coen
Roteiro: Joel Coen, Ethan Coen
Duração: 110 minutos
Elenco: Jeff Bridges, Matt Damon, Hailee Steinfeld, Josh Brolin, Barry Pepper

/ bravura indômita (2010) -
bruno knott,
sempre.

 

About these ads

25 comentários sobre “Crítica: Bravura Indômita (2010)

  1. Eu gosto de “Matadores de Velhinha”, rsrsrsrs. Acho que tem seus problemas, mas distrai. rsrsrs.

    Já este, penso em conferir o original com John Wayne primeiro. Quero muito assistir a atuação da menina Hailee.

    Beijos! ;)

    • Sempre tem alguma coisa de aproveitável em qualquer filme dos Coen, pelo menos pra mim. Tb acho que Matadores de Velhinha distrai, mas não mais do que isso!

      Preciso ver o original tb, Mayara. E a garota está demais!

      Bjos.

  2. Gosto muito de faroestes – especialmente os clássicos -, mas ainda não aprendi a lidar com os Coen. Pode ser desta vez. Soube, pela maioria, que a refilmagem de Bravura Indômita é fantástica. Vou conferir.

    • Tb sou fã de faroestes, aos poucos estou descobrindo os clássicos… sempre fui mais do grupo dos spaghetti!

      Pena tu não curtir tanto os Coen, talvez agora eles consigam te convencer!

      Abraços.

  3. Depois de “Um Homem Sério”, perdi qualquer interesse pelos irmãos Coen. “Bravura Indômita”, além de tudo, é um faroeste (gênero que não gosto muito) e ainda tem Jeff Bridges, que já me irritou desde o trailer. Ou seja, verei esse filme apenas por formalidade, já que a vontade é nula =P

  4. Estou extremamente curioso pra assistí-lo,após uma sequência de filmes incríveis (Onde os Fracos Não tem Vez,Queime Depois de Ler e Um Homem Sério) acredito que este não irá quebrar a corrente da sequência,abraços.

  5. Não sou muito fã dos irmãos Coen, do Jeff Bridges e de filmes de faroeste. rsrsrs mas tenho lido muita coisa boa sobre esse longa e pretendo conferir assim que tiver a oportunidade.

    • hehehehe… pô, achei que não curtir essas três coisas que vc disse era algo impossível, mas você é o segundo a falar isso aqui.

      de qq forma, creio que ele merece uma chance!

      Abraços..

  6. Pingback: Bravura Indômita (Estréia) - Site Cinema Recife
  7. Não tive a oportunidade de ver todos os filmes deles, mas vi a maior parte..
    ”matadores de velhinha” é bom cara,apezar de não ser uma refilmagen fiel, é gostoso de ver, Tom Hanks é Tom hanks.. haha
    dificil achar um filme deles que se diga ruim, to ansioso pra ver este!

  8. Boa análise crítica!
    Como sou um fã de “westerns” e admiro o trabalho dos irmãos Coen, não haveria um presente melhor.
    Mas como “moro longe demais das capitais” e gostaria de assistir “Bravura Indômita’2010″ na tela grande, vou ter que torcer para ser exibido no interior de Minas. Por isso eu até postei um texto sobre o filme no meu blog.

  9. Pingback: Indicados ao Oscar 2011 (ranking) | Cultura intratecal

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s