A Partida

Título original: Okuribito
Ano: 2008
Diretor: Yôjirô Takita

Sou fã de Valsa com Bashir, mas devo admitir que o Oscar de melhor filme estrangeiro para A Partida foi extremamente merecido. É um filme que passeia por diversos assuntos e temas, sempre fugindo da superficialidade e da pieguisse. Ele é um retrato de uma parte da cultura japonesa e um mergulho na vida de Daigo Kobayashi, o personagem principal. No início temos uma narração em off de Daigo dizendo que sua vida fora inexpressiva até aquele momento. Agora ele encontrou uma razão para viver. Esta razão é mostrada logo no começo, quando vemos Daigo realizando o chamado “ritual de acondicionamento” , que consiste em diversos tipos de  cuidados dados a um falecido, como limpar o corpo e prestar homenagens.

A partir daí temos um flashback mostrando como Daigo foi parar nesse emprego. Aos poucos vamos nos importanto mais e mais com a vida de Daigo e a relação dele com o violoncelo, a mulher, a cidade natal, o patrão e é claro, com o pai, que o abandonou quando ele tinha 6 anos de idade.

Este filme consegue emocionar sem forçar a barra em momento algum. Ele tem a morte como um dos principais assuntos abordados e nunca fica melancólico. A Partida é um filme poético, belo, com um significado. Sobra até espaço para um pouco de humor, principalmente no período no qual Daigo está se adaptando ao novo trabalho.

Vale destacar o trabalho do ator Takashi Sasano, que interpreta um senhor que sofre com a perda de uma grande amiga, não sem antes criar uma analogia entre salmões que nadam contra a corrente e acabam morrendo e a nossa própria vida.

Nota: 5/5

7 comentários sobre “A Partida

  1. Primeira obrigado pela visita e segundo quero deixar as boas vindas à blogosfera cinéfila, acredito que passará bons momentos aqui, rs…

    Sobre o filme, sem dúvida é um grande filme que mereceu tudo que recebeu… Uma sensibilidade incrível sem ser piegas nem efadonho, nota mais do que justa…

  2. Obrigado por passar no Cinema Rodrigo…

    quanto a este filme, pelo título parecia um filme de Aeroporto.

    O cinema oriental é muitas vezes uma incógnita para os ocidentais, por isso nem todos agradam à todos!

    Que bom que você faz parte dos que gostaram dele!

    Abs!

    1. valeu a visita aqui tb cara!

      o cinema oriental tá cheio de coisa boa… eu sou fã de akira kurosawa, mas confesso que não conheço muita coisa além dele!

      abraço

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s