Amor Sem Escalas

Título original: Up In The Air
Ano: 2009
Diretor: Jason Reitman

Ryan Bingham (George Clooney) tem um emprego complicado. Ele é contratado para fazer demissões. Quando um chefe não tem coragem suficiente para demitir seus próprios empregados ele recorre a pessoas como Ryan. Acompanhamos várias demissões realizadas por ele e percebemos que não é fácil. A reação dos demitidos varia, mas todas são passadas de uma maneira extremamente convincente, mesmo porque alguns não são atores de verdade, são pessoas comuns compartilhando um dos piores momentos da vida.  No mínimo, tocante. Ter esse emprego faz de Ryan um viajante. Ele é um colecionador de milhas aéreas e é muito interessante acompanhar a rotina dele nos aeroportos e nos hoteis. Isso tudo faz Ryan ser como é. Um cara que quase não para em casa e que não tem tempo para criar conexões fortes com alguém. Ele não tem mulher, não tem filhos e está feliz assim.

Sua rotina tão amada está prestes a virar passado, pois Natalie Keener – uma nova funcionária da empresa – tem uma ideia que vai aumentar os lucros: ao invés de viajar até uma cidade distante para demitir alguém, porque não fazer isso via internet, por uma video conferência? O Chefe gosta da ideia e está irredutível. Mas antes, ele pede para Ryan treinar a moça da maneira antiga, isto é, frente a frente com demitido.

Vamos lá. Primeiramente quero dizer que aproveitei cada minuto desse filme. Sabe quando nem vemos o tempo passar? Aconteceu comigo aqui. Ele é tão agradável, feito com tanta inteligência e habilidade que você tem que se render a ele. Muitas coisas são abordadas, desde ironias relacionadss a ambição sem limites que temos no trabalho, como situações que nos fazem pensar sobre a nossa própria vida. Será que fazemos o que gostamos? Estamos felizes? É importante ter alguém ao seu lado para compartilhar experiências? Ele consegue nos fazer rir e nos emocionar de uma maneira sincera.

George Clooney merece ser indicado ao Oscar, pois o que ele conseguiu em Amor Sem Escalas é algo espetacular. Um exemplo é a cena em que ele tem que incentivar o seu cunhado a casar, mesmo indo contra a sua filosofia de vida. Percebam as discretas reações do Clooney quando o cunhando fala do que o aguarda após um casamento. Excelente. As músicas ajudam a aumentar a qualidade das cenas, pois foram colocadas de maneira precisa, nos momentos certos.

É um feel good movie? Não exatamente, mas é difícil não sair com um sorriso da sessão.

Nota: 9

– Por B. Knott

Anúncios

23 comentários sobre “Amor Sem Escalas

  1. Essa parte que querem utilizar video conferências e assim acabar com a vida que Ryan levava, eu não sabia!

    E fiquei agora mais empolgado em ver o filme, uma vez que, o filme consegue nos fazer aproveitar cada minuto! Então deve ser muito bom mesmo! E o roteiro deve ser bem feito!

    Abraço

  2. Ainda não vi o filme, mas sei que é muito bem escrito, pelo que dizem por aí, e a atuação é adequada a cada personagem. Com certeza verei o filme!

    Boa crítica.
    Abraço

  3. Ah, me animou um pouco. Ando meio desanimado com todos os filmes da temporada, não sei por quê. Esse filme sempre teve de não ser nada de mais, mas pelo seu texto nota-se que estou enganado né?

    []s!

  4. Também achei um ótimo filme, a atuação de Farmiga tem que ser lembrada (acho que ela está até melhor que George), o roteiro dá agilidade e a montagem ajuda na dinâmica geral. Merece as indicações mas não vejo muitas vitórias.

    1. Sim, tb vejo indicações, mas não muitas vitórias. Gostei muito da Vera Farmiga, mas acho que preferi o Clooney, a atuação dele foi meio diferente das habituais dele, talevz foi por isso que curti tanto.

  5. Será que é unanimidade que Amor Sem Escalas é genial?

    O Reitman evoului a cada filme. É impressionante. Desde Obrigado Por Fumar , passando por Juno.

    AMor sem Escalas é o equlibrio perfeito entre ótimas interpretações com um roteiro impecável. Ai soma-se a direção de Jason Reitman e temos um grande filme.

    Dei nota 9.5.

  6. Gostei muito deste roteiro e devo revisar o filme esta semana. Precisamente, penso que ele faz questionar não só as consequências imediatas de uma crise econômica, mas está bem relacionado ao que se coloca na mochilinha da vida, uma problemática de muitos executivos, por exemplo.
    bjs!

  7. Adorei tudo em “Amor sem escalas”. É um filme adorável com um elenco perfeito e um roteiro que está sempre atento para não cometer erros. O jovem Reitman me agradou novamente. Com esse ele é um dos meu diretores favoritos da atualidade.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s