Crítica: Tropa de Elite 2 (2010)


Muito já se falou sobre Tropa de Elite 2 nos blogs de cinema e sites especializados. Tudo a respeito dele já foi muito bem debatido por aí, portanto meu post tem o simples objetivo de deixar o Cultura Intratecal mais completo. Pega mal um blog brasileiro não ter comentários sobre um dos maiores sucessos do cinema nacional, não acham? Prometo que será objetivo.

O diretor José Padilha mais uma vez entrega um trabalho corajoso e muito ambicioso. Assim como a maioria da população ele se mostra farto da corrupção do dia-a-dia. No filme anterior, o vilão era o tráfico, agora os inimigos são os políticos corruptos e as milícias da PM que deveriam proteger as comunidades, mas as utilizam como fonte de renda. Tropa de Elite 2 é cheio de ótimas cenas de ação, fazendo de algumas regiões do Rio de Janeiro verdadeiras praças de guerra. O bom é que por trás dos tiros e da violência existe um roteiro muito bem escrito, que trabalha com o emocional do público de maneira eficiente. Quem não queria estar no lugar do Coronel Nascimento quando ele espanca um político bandido? É a vontade do povo tornando-se torna real nas mãos de José Padilha.

Outro ponto interessante é o personagem Fraga. Ele possui uma visão política e social completamente diferente da do Coronel Nascimento, sendo chamado por este de intelectualzinho de esquerda. O fato é que para combater esse novo inimigo uma aproximação dos dois personagens se mostra necessária, algo que fica ainda mais difícil por Fraga ter se casado com a ex-mulher de Nascimento.

Wagner Moura mais uma vez está excelente no papel. Dessa vez ele interpreta um Nascimento mais envelhecido e contido. Reparem como o ator pisca os olhos quando o personagem é contrariado. Como ele deixou de ser o comandante do BOPE para trabalhar de terno e gravata, suas reações devem ser menos efusivas. De qualquer forma, às vezes ele não consegue se controlar, como na cena do espancamento do político.

Sugiro não desviar o olhar em nenhum momento e prestar bastante atenção na narração em off, pois é possível se perder com tantos jogos políticos, embustes e tráficos de influência que o roteiro apresenta.
IMDb

/b. knott

Anúncios

10 comentários sobre “Crítica: Tropa de Elite 2 (2010)

  1. Mais do que justo Bruno, hehe, e não precisa se desculpar nem prometer ser breve. Cada ponto de vista sobre um filme acrescenta algo. O destaque que você dá a interpretação de Wagner Moura e a locução são mais do que propícias.

    bjs

  2. Engraçado que já ouvi gente dizer que não gostou tanto deste segundo porque “o primeiro é mais divertido”.

    Gostei muito da atuação do Wagner Moura, também reparei nele piscando com tiques de nervosismo.

    Abs!

  3. O melhor do filme é que se trata de uma continuação que tem algo a mais pra dizer, e não somente repetir o filme anterior simplesmente por ser um grande sucesso de público. Acho que existe uma desmestificação da figura do Coronel Nascimento que, no filme anterior, foi erroneamente visto como herói por muitos. Aqui, ele se mostra falível, lutando contra um inimigo mais do que impróprio. O filme ainda consegue a proeza de ser um tantinho melhor que o priemiro, um feito e tanto.

  4. Excelente filme. É evidente o crescimento dos personagens e assim da narrativa em relação ao primeiro filme. A discussão sobre política pública e corrupção são pontos que somaram ao roteiro de qualidade.
    Ah! Estou concorrendo a ingressar na Sociedade Brasileira de Blogueiros Cinéfilos. Dê uma visitada no meu blog e se achar bacana (conteúdo e layout)… Quero vir a somar.
    Abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s