Crítica: Namorados Para Sempre (2010)

É notório o desgaste da temática de relacionamentos no cinema, por isso quando aparece um trabalho que adiciona profundidade e ousadia ao gênero ele deve ser celebrado. É o caso de Namorados Para Sempre.
Somos jogados no dia-a-dia de um casal em crise. O distanciamento afetivo e físico entre eles é enorme. O marido se apega a bebida e a filha, a mulher se concentra no trabalho de enfermeira. Todas as cenas são muito carregadas e melancólicas. Para tentar dar uma aliviada no clima, temos flashbacks que mostram como o casal se conheceu e se apaixonou. O problema é que se formos analisar friamente veremos que desde o início esse relacionamento estava comprometido. Ao meu ver, eles se uniram por motivos errados: ela desesperada com a situação em que se encontrava, ele querendo provar para ele mesmo que o amor à primeira vista existe.
A única cena realmente capaz de nos animar é aquela em que o personagem de Ryan Gosling toca ukelele, enquanto a Michelle Williams faz um sapateado meio alternativo, mas encantador.
Namorados Para Sempre é um filme inegavelmente triste. O roteiro mostra com intensidade um relacionamento que visivelmente não deu certo. Os diálogos esbanjam sinceridade, por isso nos importamos tanto.
Minha única lamentação vai para o título nacional que tentou se aproveitar do dia dos namorados para fazer um pouco mais de grana. Eu entendo que todos precisam de dinheiro, mas um pouco de honestidade é essencial. Provavelmente, Namorados Para Sempre é o último filme que eu veria no dia dos namorados.
8/10
IMDb

Anúncios

8 comentários sobre “Crítica: Namorados Para Sempre (2010)

    1. Hmm… pensando por esse lado você tem razão, mas dificilmente alguém vai pensar que trata-se de um título irônico… tem que fazer força!

      De qq forma, puta filme!

  1. Compartilho a mesma opiniao sobre o nome brasileiro, e até acho uma grande ironia, mas só aqueles que já viram entenderiam, entao acabo nao concordando. Sobre o filme, é muito bom. A dupla principal domina cada segundo de cena. Um dos melhores do ano.

  2. Achei o título fraco tb, total na intenção de embarcar na onda do dia dos namorados. Entrou pra minha lista de melhores de 2011.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s