Crítica: Trono Manchado de Sangue (1957)

Akira Kurosawa não economizou na quantidade de obras-primas que criou. É verdade que ele tem uma extensa filmografia, mas é impressionante como vários de seus filmes são verdadeiras obras de arte do cinema. Um exemplo é Trono Manchado de Sangue. Aqui temos MacBeth de Shakespeare adaptado para o Japão medieval, o que proporciona uma das histórias mais memoráveis do cinema. Muitos temas atemporais são mostrados no filme, como a sede de poder, traições e vingança. O lorde Washizu é surpreendido pela profecia de um espírito que o inspira a buscar o poder a qualquer custo. Essa inspiração cresce ainda mais quando sua mulher não hesita em dizer que ele deve ir até as últimas consequências para chegar ao trono. Talvez este seja um dos melhores trabalhos de fotografia em filmes do Kurosawa. Cada cena tem uma beleza de saltar os olhos, mesmo com uma atmosfera de medo constante ao redor. As aparições do espírito são dignas de bons filmes de terror, um gênero não explorado pelo diretor. Também causam medo os diálogos manipulativos e ambiciosos da mulher de Washizu, que vão transformando a personagem em uma vilã das mais assustadoras. Mesmo com uma história muito bem contada e cada vez mais intensa, a cena definidora de Trono Manchado de Sangue é mesmo a cena final. Poucas vezes se viu algo tão violento como este desfecho. O destino foi cruel com alguém que fez por merecer cada flecha disparada.
9/10

Anúncios

3 comentários em “Crítica: Trono Manchado de Sangue (1957)

  1. Conheço pouco da filmografia do Akira Kurosawa. Uma falha que, como cinéfila, tenho que corrigir urgentemente.

  2. É um daqueles filmes em que cada plano é antológico. Como Kurosawa fazia tão bem essas adaptações de Shakespeare?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s