Flash Gordon (1980)

Deve-se perdoar um filme ruim por ele ser trash por vontade própria? Nada contra filmes trash, mas eles no mínimo precisam nos divertir, algo que ficou longe de acontecer comigo quando assisti a Flash Gordon. Acho que a única maneira de gostar de algo como Flash Gordon é vê-lo pela primeira vez com no máximo 10 anos de idade. Temos aqui um roteiro bobo sobre um vilão que tem por diversão destruir planetas e o próximo da lista é o planeta Terra. A única esperança está no “herói” Flash Gordon, um cara que não tem nenhum poder, exceto o fato de ser quarterback do New York Jets. Tirando a trilha sonora do Queen, não existe nada aqui que possa ser realmente aproveitado. É um festival de figurinos toscos, que parecem mais fantasias que teríamos vergonha de usar em festas de escola, efeitos especiais nada inspirados e diálogos juvenis, daqueles que chegam a nos deixar constrangidos. É melhor nem falar sobre a dupla de atores principais, só mesmo Max Von Sydow que traz um pouco de dignidade no quesito atuação. Para vocês terem uma ideia de como foi torturante enfrentar as quase 2 horas de Flash Gordon, chegou um momento em que eu já estava enjoado de ouvir a voz de Freddy Mercury cantando “Flash – Ah -” e isso que gosto bastante de Queen.
4/10 

Anúncios

4 comentários sobre “Flash Gordon (1980)

  1. Já ouvi falar deste filme, mas nunca conferi. Entretanto, concordo contigo: um bom filme trash é aquele que te diverte horrores e que não se leva a sério. Pelo jeito, este não é o caso deste longa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s