Crítica: O Bebê de Rosemary (1968)

O Bebê de Rosemary funciona como uma verdadeira aula de como se fazer um filme de terror. Aqui, Roman Polanski jamais investe em sustos fáceis. Ele prefere estabelecer uma atmosfera sombria e inquietante, nos colocando na pele de Rosemary e sua atormentada gravidez. Em vez de nos assustar, ele cria situações que vão nos deixando com medo, com a intensidade aumentando progressivamente, até chegar ao limite no perturbador desfecho.
O roteiro é baseado em um livro de Ira Levin e pelo o que li, trata-se de uma adaptação bem fiel. Como uma boa história de terror, tudo começa com um casal mudando-se para um novo apartamento. Logo eles descobrem fatos estranhos envolvendo o local, como um morador que entrou em coma de maneira suspeita, uma vizinha que se suicidou e assim por diante. Eles são recebidos amistosamente por vizinhos de mais idade, que logo se mostram bastante interessados na gravidez de Rosemary.
As pistas para a verdadeira natureza dos vizinhos se fazem presentes desde o início do filme, algumas apresentadas de maneira sutil e outras nem tanto. Aos poucos as intenções deles vão sendo reveladas. O que dizer de alguém que considera o ano de 1966 como o ano um, que faz reuniões com estranhos cânticos em seu apartamento e que para completar é filho de um bruxo? Boa coisa certamente não.
Quando Rosemary descobre onde se meteu pode ser tarde demais e a sensação de desespero da personagem é compartilhada com bastante agonia por nós. Sinal de que tudo funciona muito bem neste grande clássico do cinema.
9/10

Anúncios

3 comentários sobre “Crítica: O Bebê de Rosemary (1968)

  1. Sou muito fã desse filme, mas confesso que o livro me assustou mais. Principalmente pela descrição do bebê (que não aparece de fato no filme). Nota bem dada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s