Crítica: O Mundo em Perigo (1954)

A primeira parte de O Mundo em Perigo investe bastante no mistério. A situação principal do filme é revelada aos poucos. Uma garotinha em choque andando no deserto, um trailer destruído, pegadas estranhas, sons agudos vindos de algum lugar, mortes e açúcar, muito açúcar. Esse suspense criado é trabalhado com bastante qualidade. Quando as formigas gigantes aparecem, a história muda de rumo e se transforma em uma típica ficção científica de monstros assassinos. É interessante que mesmo agora o filme mantém um bom nível. Os efeitos especiais funcionam bem, o elenco alcança o tom necessário para não transformar tudo em uma paródia, os diálogos são marcantes e em alguns momentos as formigas realmente parecem seres ameaçadores. O que faltou foi passar uma sensação de que de fato o mundo estivesse em perigo. Em nenhum momento nos convencemos de que elas podem se reproduzir e dominar a Terra, como os cientistas do filme sugerem. O desfecho não nos surpreende, mas a frase final dita por um personagem possui um grande impacto ao anunciar que dias piores virão.
7/10

Anúncios

4 comentários sobre “Crítica: O Mundo em Perigo (1954)

  1. Ainda não tive oportunidade de assistir esse filme, mas essa obras clássicas de ficção me agradam. Dica anotada. Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s