Crítica: Os Caça-Fantasmas (1984)

Os Caça-Fantasmas fez parte do grupo de filmes que eu assistia várias vezes quando criança. Me divertia bastante, mas o fato é que só agora pude perceber como o filme é rico quando se trata de humor. São vários os momentos extremamente engraçados, algo que se deve a algumas gags, mas principalmente ao diálogos inspirados. Quando o assunto é fazer rir, Bill Murray se destaca bastante, mostrando um timing cômico preciso e uma inexpressividade que colabora e muito para a composição da personagem.
Se a história em si não é das mais bem trabalhadas, pelo menos cumpre o papel de entreter. Os caça-fantasmas do título formam um grupo de “especialistas” em acontecimentos sobrenaturais. Quando são expulsos da universidade onde trabalhavam, resolvem abrir uma empresa que promete acabar com todo e qualquer problema que o cliente tenha com fantasmas. Eles ficam conhecidos após solucionarem vários casos isolados, até que surge uma ameaça capaz de colocar em risco o destino de toda a população.
Trata-se de uma mistura de fantasia e comédia que pode ser vista pela família inteira, afinal as crianças dificilmente vão entender as piadas mais ousadas. Em nenhum momento temos alguma dúvida de que as coisas vão acabar bem, então basta relaxar e prestar atenção para que nenhuma piada passe batida.
8/10

Anúncios

8 comentários em “Crítica: Os Caça-Fantasmas (1984)

  1. Também assistia muito a “Ghostbusters” quando criança. Um dos meus favoritos da Sessão da Tarde em uma época em que os heróis eram gordos, usavam óculos e o senso comum o aceitavam sem problemas. Já hoje, vá tentar a mesma coisa… vai virar “cult” em alguns anos, no máximo…

  2. Eu sempre fui mais ligada ao desenho animado, que fez parte da minha infância. Curiosamente, o filme nunca me conquistou, mas acho uma excelente pedida para uma Sessão da Tarde da vida.

  3. É, esse fez parte da minha infância também, vi várias vezes, assim como via o desenho deles também. Lembro que a única coisa que decepcionou no filme foi Geléia, que no desenho era um personagem engraçado, o mascote e no filme passou batido naquela cena da biblioteca, hehe.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s