Crítica: A Fonte das Mulheres (2011)

la-source-des-femmesCom um eficiente equilíbrio entre a comédia e o drama, o diretor Radu Mihaileanu transmite a luta das mulheres de uma aldeia do norte da áfrica por uma existência menos sofrida e mais justa. Enquanto elas precisam subir e descer uma montanha com terreno hostil em busca de água, os homens passam os dias tomando chá e jogando conversa fora. Após várias abortos provocados pelas quedas, as mulheres decidem se rebelar de uma maneira potencialmente infalível: greve de sexo. A população masculina se sente desafiada pelas mulheres, que querem deixar de lado a submissão e almejar um pouco de conforto. O problema não é só ir buscar a água, mas a falta de eletricidade, a ausência de garotas nos colégios, o uso do véu e assim por diante. Boas discussões em relação a tradição da cultura daquele povo são feitas, culminando em momentos de emoção e humor. Tudo flui em um ritmo dinâmico, com tempo até para apreciação de uma belíssima fotografia.
80

Anúncios

4 comentários sobre “Crítica: A Fonte das Mulheres (2011)

    1. Eu nem me lembro como fiquei sabendo do filme, mas valeu muito a pena ter assistido. Discute temas relevantes de uma maneira contundente, com pitadas de humor.

  1. Quando ele passou no Festival Varilux fiquei curiosa para ver, mas acabei não conseguindo ir à sessão, e foi ficando para depois. É um filme que ainda quero ver.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s