Crítica: Sanjuro (1962)

sanjuroSanjuro, interpretado por Toshiro Mifune, resolve ajudar um grupo de samurais de duvidosa habilidade que se vê ameaçado por um governante corrupto. Kurosawa foi pressionado pelos produtores para criar uma continuação de Yojimbo e o resultado foi extremamente positivo. Mesmo que não seja tão bom quanto o filme anterior, Sanjuro investe muito bem na comédia e em diálogos inspirados. Toshiro Mifune novamente esbanja carisma e é o nosso elo com a história que, diga-se de passagem, é um tanto confusa em certos momentos. De qualquer forma, quando a ação toma conta somos brindados com cenas intensas, culminando em um duelo final inesquecível.
7/10

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s