Crítica: Rainha Christina (1933)

queen-christina-2Rainha Christina é mais um trabalho do diretor Rouben Mamoulian que me agradou bastante, só que desta vez ele não foi o principal responsável por isso. O que faz deste filme algo especial é a presença da inesquecível Greta Garbo. Muitos dizem que foi aqui que a musa sueca teve sua melhor atuação, algo difícil de discordar. A atriz atrai nossos olhares de uma maneira quase hipnótica, tamanha a presença e força que ela possuía. O enredo pode não ser dos mais elaborados, mas é dinâmico e nos mantém interessados no que vemos durante todo o tempo. Greta Garbo interpreta uma rainha que precisa decidir se segue seu coração ou se respeita as obrigações do reino. Trata-se muito mais de um romance do que um drama histórico, com direito a um desfecho não tão previsível. Outro acerto está na qualidade dos diálogos, muitas vezes com espaço para um humor agradável. Rainha Christina é um clássico que envelheceu muito bem.
8.5/10

/curta: intratecal

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s