Review: Game of Thrones 4×01-Two Swords

game-of-thrones-two-swordsApós uma longa espera, Game of Thrones está de volta. Esse tempo foi importante para que nós conseguíssemos nos recuperar da carnificina que foi o Casamento Vermelho, não é mesmo? De qualquer forma, estávamos ávidos pelo seriado e esse início da quarta temporada mostra que as coisas que deram certo nas temporadas anteriores serão mantidas. Quando digo isso me refiro, principalmente, a maneira como a história é contada.

Excluindo a última cena, pouca coisa de incrível acontece, mas percebemos que vários caminhos estão começando a ser trilhados nesse sentido. Nada em Game of Thrones é feito com pressa. Praticamente tudo é desenvolvido de maneira correta, permitindo com que o público realmente se envolva com as situações e que sofra (ou se alegre) com as consequências.

Um personagem que passa por um péssimo momento é Jaime Lannister. Não bastasse ele ter perdido a mão direita, ele corre o risco de perder o lugar na guarda real, além de enfrentar o desdém e a frieza do pai e as reticências da irmã. Como se fosse pouco, ele ainda precisa aguentar a arrogância habitual de Joffrey. As coisas não estão nada fáceis para o regicida.

Quem também passa por um mau bocado é Jon Snow. Alguns de seus companheiros da Patrulha da Noite desconfiam de suas atitudes no lado de lá da muralha, cogitando até severas punições. A sorte é que o Meistre Aemon ficou do lado dele. O problema é que, enquanto isso, os selvagens se organizam para um grandioso ataque.

Sansa continua exatamente a mesma: ela sofre e não faz nada para mudar sua situação. Agora com a morte da mãe e do irmão Robb, a garota está ainda mais isolada. Muitos tem uma verdadeira aversão a esta personagem, mas bem que em algum momento ela poderia tomar algum tipo de atitude em seu próprio benefício. Será que ela não cansa de ser uma coitadinha?

Tyrion Lannister recebe Oberyn Martell, um homem da realeza de Dorne que parece não aceitar levar desaforos para casa. As rusgas dele com a casa Lannister são enormes. Ainda vai dar pano para manga.

Quando digo que as situações em Game of Thrones vão ganhando em intensidade aos poucos, posso citar dois exemplos vistos neste episódio: Tyrion tem uma conversa séria com Shae, que está irritada por vê-lo casado com Sansa. Para complicar, uma aia de Cersei escuta essa conversa e vai correndo contar para ela. É mais uma vantagem de Cersei em relação a Tyrion. Como será que ela vai proceder com essa valiosa informação?

Outro ponto são os dragões. Eles estão cada vez maiores e mais famintos. Sir Jorah informa Daenerys de que os dragões não podem ser domados, nem mesmo pelas mães. Imaginem se o poder de destruição desses enormes animais não for usado de acordo com os desejos de Daenerys? Tudo pode acontecer.

A cena chocante foi reservada para o final e com Arya Stark. Esta é uma das personagens preferidas de muitos e neste episódio ela amadurece ainda mais. A garota está sendo levada pelo Cão de Caça até a casa de sua tia Lysa. O objetivo do Cão, é claro, é faturar uma grana. O fato é que os dois param em uma estalagem e lá encontram uma companhia de ladrões. Arya reconhece Polliver, aquele mesmo que havia roubado a sua estimada espada agulha e matado um de seus amigos.

O pau quebra, o Cão de Caça acaba com quase todo mundo e recebe ajuda de Arya, que não hesita em tirar a vida de Polliver, não sem antes fazê-lo se lembrar de quem ela é.

É chover no molhado dizer que um episódio de Game of Thrones passou voando e este não diferente. Vale ressaltar que tivemos vários diálogos que serviram para nos lembrar de alguns fatos passados. Trata-se de uma atitude bem interessante, afinal são muitos personagens e muitas tramas e subtramas.

Two Sords representa um começo bem promissor para um temporada que promete. Qualidade virou rotina quando o assunto é Game of Thrones. Sorte nossa!
8.5/10

 

9 comentários sobre “Review: Game of Thrones 4×01-Two Swords

  1. Boa espalitada de dentes a de Arya, pra fechar bem o episódio. E GoT é isso mesmo, trilhamos caminhos, conhecemos personagens e começamos a sermos cativados para depois, mais a frente, termos nossas almas dilaceradas hehehe

  2. Jaime não corre o risco de sair da Guarda Real, o pai queria que ele tivesse algo muito maior, saísse para voltar a ser o herdeiro de Rochedo Casterly, porém isso seria ele abandonar Porto-Real e ir pro Rochedo, ficando longe da Cersei, então ele recusa, mas logicamente não pode falar pro pai “não quero o Rochedo pq amo minha irmã e quero ficar perto dela”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s