Crítica: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014)

hoje-eu-quero-voltar-sozinhoHoje Eu Quero Voltar Sozinho, filme dirigido e roteirizado pelo ótimo Daniel Ribeiro, é mais uma prova de que o Brasil possui um talento monstruoso em termos de cinema. Como é bom assistir a um filme que é sensível, emocionante, profundo e divertido. São cerca de 95 minutos que passam voando e nos deixam ávidos por mais.

Os adolescentes Leonardo (Guilherme Lobo) e Giovana (Tess Amorim) são amigos inseparáveis prestes a iniciar mais um ano letivo. Leonardo é cego desde o nascimento, mas ele consegue viver bem com isso, apesar do excesso de proteção da mãe. Ela tem muitas dificuldades de aceitar o fato de que o garoto pode e deve fazer as coisas sozinho de vez em quando. Infelizmente, na escola, Leonardo é alvo de bullying em algumas situações. É triste notar que as pessoas estão cada vez piores nesse sentido. Perde-se a civilidade, mas não a piada. Tudo isso o faz pensar em realizar um intercâmbio e sumir por uns tempos.

A forte amizade de Leonardo e Giovana recebe a companhia de Gabriel e logo se inicia um tipo de triângulo amoroso. O legal é que tudo acontece da maneira mais natural possível. A barra não é forçada em nenhum momento. O sentimento entre Leonardo e Gabriel cresce aos poucos, com um começando a gostar do estilo musical do outro, com conversas sinceras, piadas não intencionais e outras experiências.

Falando em música, várias cenas ganham em intensidade e significado graças as ótima escolhas da trilha sonora, que conta com The National, Belle and Sebastian e Arvo Part.

Estamos diante de uma história de amadurecimento que funciona tão bem devido ao brilhante roteiro e à qualidade do trio de atores principais. Criamos empatia com eles logo na primeira cena e assim compartilhamos suas alegrias e tristezas.

Confesso que fiquei impressionado com a capacidade de Daniel Ribeiro de abordar temas difíceis de um jeito leve, sem exageros, mas repleto de emotividade. Está aí um diretor cuja carreira quero acompanhar de perto.

E viva o cinema!
9/10

 

Leonardo (Guilherme Lobo), Gabriel (Fabio Audi), Giovana (Tess Amorim)

4 comentários sobre “Crítica: Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014)

  1. Não assisti ao curta que originou o filme e pretendo fazer isso antes de assistir a “Hoje Eu Quero Voltar Sozinho”, neste final de semana. De toda maneira, é muito bom ver um filme nacional ser tão bem recebido. O longa parece ser uma unanimidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s