O Picolino (Top Hat, 1935)

o-picolino

O forte de O Picolino está longe de ser o roteiro, que mostra um romance recheado de mal-entendidos extremamente forçados, mas que até conseguem arrancar uma ou outra risada. O que torna o filme especial é a dupla Fred Astaire e Ginger Rogers e seus brilhantes números musicais. A dupla demonstra um talento fora do comum. Vê-los dançando é uma experiência única, capaz de divertir e encantar. Talvez a sequência mais emblemática seja a de “Cheek to Cheek“, cena que já foi referenciada várias vezes no cinema, como em “À Espera de Um Milagre”.  Este é um filme muito fácil de se gostar e impossível de esquecer. Simplesmente, arte.
8.5/10

3 comentários sobre “O Picolino (Top Hat, 1935)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s