Crítica: Os Carrascos Também Morrem (1943)

hangmen-also-die-1943Fitz Lang é um dos maiores cineastas de todos os tempos, mas Os Carrascos Também Morrem não é um de seus melhores filmes. Apesar de tudo, não deixa de ser uma experiência valida, principalmente quando focamos mais nos aspectos técnicos ao invés da história.

Acompanhamos aqui o assassinato do general Heydrich e a incessante busca da gestapo pelo responsável. É interessante ver como os habitantes de Praga decidem proteger o assassino, mesmo com os métodos cruéis dos nazistas. Cada sacrifício pessoal é um passo rumo a vitória na guerra. Isso fica bem claro. É uma pena que faltam mais momentos de impacto e um envolvimento maior nosso com os personagens. Fica difícil dizer se a culpa foi dos atores ou do próprio roteiro.

De qualquer forma, o filme consegue mostrar muito bem as atitudes opressoras da gestapo e o medo da população. Ele tem quase todas as qualidades de um bom noir, como a iluminação, o uso das sombras  e a fotografia em preto e branco, mas no geral ficou devendo.
7/10

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s