Crítica: Acossado (1960)

Breathless S&S Sunday

‘Acossado’ é, juntamente com ‘Os Incompreendidos’, o nome mais importante da nouvelle vague. Trata-se do primeiro filme do cineasta francês Jean-Luc Godard e um dos trabalhos mas influentes da História do cinema. O enredo envolvendo um homem em fuga por Paris após atirar em um policial é bem simples, mas as ousadias técnicas, as referências a outros filmes e o estilo ‘cool’ de Jean-Paul Belmondo fizeram de Acossado um verdadeiro clássico. Com uma edição ágil, o uso do jump-cut e de ângulos não muito comuns, esta é uma experiência única em termos visuais, ainda mais com os cenários parisienses. Como disse o próprio diretor: tudo o que você precisa para fazer um filme é de um cara, uma garota e uma arma.

Nota:

2 comentários sobre “Crítica: Acossado (1960)

  1. Um clássico, clássico, que, pra variar, venho dizer aqui que nunca assisti! Adorei o novo layout do blog, Bruno!!!

  2. que bom que curtiu! eu estava precisando dar uma atualizada no visual…

    acossado é ótimo, mas prefiro os incompreendidos quando o assunto é nouvelle vague.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s