Crítica: Final Cut: Ladies and Gentlemen (2012)

final-cut-holgyeim-es-uraim

O cineasta húngaro György Pálfi demonstrou originalidade e investiu em um trabalho árduo para criar este espetacular ‘Final Cut: Ladies and Gentlhemen‘. O tema é clichê, mas a maneira que a história é contada é extremamente intrigante e serve como uma singela homenagem à sétima arte. Utilizando cenas de diversos filmes e de alguns seriados, o diretor nos oferece um romance repleto de momentos marcantes. Com muito conhecimento sobre a história do cinema e um trabalho de montagem que beira a perfeição, a narrativa ganha vida e flui muito bem do começo ao fim. É um exercício dos mais agradáveis reconhecer alguns dos 450 filmes e seriados que são abordados aqui, desde Avatar a Um Corpo que Cai, passando por Apertem os Cintos… O Piloto Sumiu e muitos outros! Essa é uma dica especial para todos os cinéfilos.

5

Um comentário sobre “Crítica: Final Cut: Ladies and Gentlemen (2012)

  1. Ah, apesar do texto curto, me deixou curiosa para conferir este filme, sobre o qual ainda não tinha ouvido falar.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s