Resenha de filme: Trens Estreitamente Vigiados (1966)

trens-estreitamente-vigiados

Dirigido por Jiri Menzel, Trens Estreitamente Vigiados é um dos ótimos exemplares da nouvelle vague tcheca. Aparentando simplicidade e desenvolvido com maestria, o filme mostra as agruras da adolescência em plena Segunda Guerra Mundial. A estação tcheca ocupada pelos nazistas é o pano de fundo da história do jovem que sofre de ejaculação precoce e que tenta encontrar uma saída para essa situação. O roteiro nos oferece cenas de um humor inteligente e de sensualidade. Impossível não destacar o beijo interrompido pela partida do trem e um fetiche envolvendo carimbos nas partes íntimas. Isso mesmo. Para complementar, temos um final forte e inesperado. Vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro em 1967, Trens Estreitamente Vigiados é daquelas pequenas jóias do cinema que são pouco vistas pelo púbico.

298

Um comentário sobre “Resenha de filme: Trens Estreitamente Vigiados (1966)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s