Resenha de Filme: Apocalypse Now (1979)

apocalypse-now-1979

Poucos diretores enfrentaram tantos problemas na produção de um filme como Francis Ford Coppola enfrentou ao realizar este épico surreal sobre a Guerra do Vietnã. Teve de tudo: um tufão destruindo um set de filmagem, um animal sacrificado, uma estrela acima do peso e cheia de exigências (Marlon Brando), um ator principal infartando (Martin Sheen) e uma enorme dúvida em relação ao ato final. Apesar de tudo isso, com muita coragem e alguns desentendimentos, Coppola nos entregou um trabalho inesquecível, repleto de sequências que entraram para a História do cinema e que ainda hoje são referências de qualidade.

O capitão Willard recebe uma estranha e perigosa missão. Ele deve embarcar em uma jornada pelo rio Nung, com o objetivo de encontrar e assassinar o Coronel Kurtz, um valioso membro do exército americano que decidiu abandonar suas obrigações militares para viver nos confins do Camboja, local onde lidera uma milícia potencialmente perigosa.

Ao longo do caminho Willard lê o dossiê sobre Kurtz e, aos poucos, começa a admirá-lo. Será que Willard vai conseguir cumprir a missão?

Apocalypse Now é recheado de cenas espetaculares, como o famoso ataque dos helicópteros ao som de Cavalgada das Valquírias e o início com a trilha sonora do The Doors e uma boa dose de napalm. Coppola também não se esquece de mostrar o despreparo e a loucura que acometia boa parte dos soldados americanos, que preferiam atirar para depois perguntar.

Indicado a 8 Oscars, levou melhor fotografia e melhor som. Quem venceu melhor filme em 1980 foi Kramer vs, Kramer. Injusto, claro.

Tal como a própria guerra do Vietnã, Apocalypse Now é brutal, trágico e insano. Uma obra-prima.

5

Anúncios

Olhar de Cinema – Festival Internacional de Curitiba [2014]

O festival internacional de cinema de Curitiba vai acontecer entre os dias 28 de maio e 5 de junho. Neste post, destaco cinco longas-metragens que fazem parte da mostra competitiva e que merecem nossa atenção. Para informações sobre horários, preços e local, basta acessar o site oficial.

/A Vizinhança do Tigre
a-vizinhanca-do-tigre
Documentário nacional sobre moradores da periferia de Contagem. A vida não é nada fácil para esses jovens, que, apesar de tudo, não perdem as esperanças de dias melhores.
“A Vizinhança do Tigre possui uma virtude que só pertence a pouquíssimos cineastas (Pialat, Kiarostami, Costa): a de ser um diamante meticulosamente lapidado e conservar, ao final da ourivesaria, sua brutalidade primeira.” Victor Guimarães

/Branco sai Preto fica

branco-sai-preto-fica“O trabalho de encenação em Branco Sai Preto Fica e toda a carga de sofrimento apresentada pelos personagens estabelece uma profundidade melancólica ainda mais deprimente, apesar de todo bom humor com que Adirley filma mais uma vez(…)” Daniel Dalpizzolo

/Mary is Happy, Mary is Happy

mary-is-hapy-mary-is-hapyFilme tailandês sobre o amadurecimento de uma garota. O roteiro foi baseado em tweets reais.

/Sheep (Mouton)

sheepParece ser experimental demais para alguns, mas o estilo semi-documental foi bastante elogiado por críticos internacionais. O enredo conta a história do rapaz Mouton, cuja vida tranquila toma um rumo diferente após um acontecimento impactante.

/The Kidnapping of Michel Houllebecq

The Kidnapping of Michel HoullebecqO estranho caso do sequestro do escritor Michel Houllebecq,  ocorrido em 2011. As dúvidas sobre o que de fato aconteceu persistem até hoje.

Preview: Better Call Saul

better-call-saulSaul Goodman foi um dos destaques de um seriado repleto de personagens interessantes. Como não rir do jeito que Saul usava (ou burlava) a lei para proteger seus clientes? Ele agradou tanto que os criadores de Breaking Bad resolveram investir em um spin-off chamado “Better Call Saul”, cuja história vai se passar antes do advogado criminal conhecer Walter White e Jesse Pinkman e terá uma pegada mais cômica.

Os atores Bob Odenkirk e Jonathan Banks (que fez Mike em Breaking Bad) estão garantidos aqui. O seriado está previsto para estrear em Novembro, com os direitos de exibição adquiridos pela Netflix.

Tudo indica que a diversão está garantida, mas se conseguirem criar um arco narrativo bem elaborado e, eventualmente, algum tipo de conexão com Breaking Bad, poderemos ter algo bem melhor do que a encomenda.

mike-saul

Trailer: Planeta dos Macacos: O Confronto

Eu era totalmente contra (mais) um reboot de O Planeta dos Macacos, mas O Planeta dos Macacos: A Origem me agradou muito, tanto que entrou na minha lista de melhores de 2011 e ousadamente roubou o lugar do filme original de 1968 na minha lista de melhores filmes de ficção científica (veja a lista aqui).

O filme vai estrear nos Estados Unidos em julho, mas ainda não há previsão de quando ganhará as salas brasileiras.

Que tal este teaser?

Empolga, hein?

Apesar da saída do diretor Rupert Wyatt, eu acredito que Planeta dos Macacos: O Confronto pode dar certo. O novo diretor Matt Reeves já mostrou competência para criar tensão, cenas de ação e ainda focar no lado intimista de seus personagens, como vimos em Deixe-me Entrar e Cloverfield – Monstro.

Ainda por cima teremos a presença de Jason Clarke, um ótimo ator em ascensão e claro, Andy Serkis dará vida a Caesar.