Tem um Van Gogh em Buenos Aires

Buenos Aires é um dos destinos preferidos dos brasileiros. Não é para menos, afinal capital argentina é cheia de encantos e consegue agradar a diversos gostos.

Para quem aprecia arte, uma visita ao Museo Nacional de Bellas Artes é obrigatório. No seu acervo, encontram-se obras de Rubens, Rembrandt, Manet, Monet, Degas e também o Le Moulin de la Galette, de Vincent Van Gogh.

O pintor holandês produziu uma série de quadros tendo o moinho como motivo principal e um desses foi parar na Argentina. O quadro foi pintado entre 1886 e 1887 e exemplifica um período de transição de Van Gogh. Aqui a influência do impressionismo fica mais evidente e pouco tempo depois ele pintaria os quadros que o qualificaram como gênio.

 

Anúncios

Albert Aurier, o primeiro crítico a reconhecer o talento de Vincent Van Gogh

O crítico, poeta e pintor Albert Aurier, foi o primeiro a reconhecer o talento e a genialidade de Vincent Van Gogh. Ele teceu vários elogios a Vincent em um artigo publicado na Mercure de France em janeiro de 1890, cerca de 6 meses antes da morte do gênio holandês.

van-gogh

Eis o que Aurier escreveu:

“uma estranha natureza, ao mesmo tempo verdadeiramente verdadeira e quase sobrenatural, uma natureza excessiva em que tudo, seres e coisas, sombras e luzes, formas e cores, se subleva, se levanta numa vontade raivosa de gritar sua própria e essencial canção, no timbre mais intenso, mais ferozmente agudo… é a matéria, a natureza inteira retorcida de maneira frenética, elevada ao paroxismo, erguida aos ápices da exacerbação; é a forma se tornando o pesadelo, a cor se tornando labaredas, lavas e pedras preciosas, a luz se fazendo incêndio, a vida febre ardente…”

Vinhedo Vermelho, a única obra que Vincent Van Gogh vendeu em vida

vinhedo-vermelhoEste é o único quadro que Vincent Van Gogh vendeu enquanto era vivo, lhe rendendo 400 francos, algo em torno de mil dólares nos dias de hoje.

Produzida em 1888, a tela foi comprada por Anna Boch em uma exposição realizada em Bruxelas em 1890. Anna era irmã de Eugene Boch, artista belga que havia sido tema de um retrato de Vincent alguns anos antes.

Agora ela se encontra no Museu Estatal Pushkin de Belas Artes, em Moscou.