Crítica: Platoon (1986)

platoon-1986

Não é exagero dizer que Platoon é um dos filmes de guerra mais autênticos e realistas já produzidos, principalmente se pensarmos em termos de Guerra do Vietnã. Para comprovar tal afirmação, basta sabermos que o diretor Oliver Stone serviu na infantaria americana no conflito e que o personagem principal basicamente representa o próprio diretor. Ao analisarmos entrevistas de Stone sobre o filme e a Guerra em si, vemos declarações sinceras que demonstram seu desejo de transmitir para o público a sensação de estar no meio daquele caos. Para completar, uma exibição do filme a alguns veteranos da guerra e a reação deles é outro indicativo da verossimilhança de Platoon.

Assim como o novato Chris Taylor (Charlie Sheen) aterrizamos no Vietnã e temos as piores impressões possíveis. O calor, cadáveres transportados em sacos plásticos e o olhar vazio de um veterano indo embora são sintomáticos. Em um missão de reconhecimento, Chris percebe que o perigo não reside apenas nos vietcongues, mas também na floresta densa, na umidade, nos insetos, nas cobras e nas poucas horas de sono. Mais tarde, ele descobre que até o mesmo o seu próprio pelotão pode representar um risco, afinal existe um racha entre os sargentos Barnes e Elias.

Uma guerra como essa é capaz de transformar o ser humano rapidamente. Uma morte causada pelo exército inimigo serve como desculpa para atos covardes contra uma vila indefesa. A loucura toma conta de alguns, assim como o mais profundo medo. Percebam a diferença de Chris no começo e no final do filme. Para sobreviver aqui é necessário adaptar-se e contar com um pouco da sorte.

O filme acerta em cheio ao retratar de maneira honesta e visceral a guerra do Vietnã, com momentos de muita tensão, medo e violência. E claro, temos que aplaudir Stone por mostrar toda a controvérsia acerca deste conflito.

Um top 10 do gênero.

5

7 comentários sobre “Crítica: Platoon (1986)

  1. Poucas obras souberam retratar tão bem o que foi e o que representou, de verdade, a Guerra do Vietnã.

    Esse é um clássico indispensável e que envelheceu bem. Revi ano passado!

    1. muito bom né? eu já assisti umas 10 vezes eu acho… dessa vez tb vi tudo o que tinha de material especial no blu ray, até o filme comentado pelo oliver stone.

  2. Um filme de Stone acima da média cujo trunfo é também mostrar a guerra ocorrida entre os próprios soldados americanos. Mesmo lutando contra um inimigo em comum, eles encontram espaço para picuinhas pessoais e vingança…

  3. “Platoon”, para mim, é “Apocalypse Now” de Oliver Stone. Acho uma obra contundente, mas que ficou datada, infelizmente!

    1. O detalhe interessante é pai e filho estrelando essas duas obras inesquecíveis sobre o Vietnã. Quanto ao filme ser datado, discordo! Ele consegue te colocar dentro da guerra e dos conflitos externos e internos do exército americano.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s